Abertura do QUALICON 2013 ES

A abertura do QUALICON 2013 foi realizada nesta manhã do dia 27 de Novembro de 2013 no Centro de Convenções de Vitória. O presidente do Sinduscon-ES, Aristóteles Passos Costa Neto fez o pronunciamento de abertura do QUALICON 2013. falou sobre a importância deste grande encontro para melhor atebder o desenvolvimento capixaba e as dificuldades enfrentadas pelos empreendedores. Em seguida anunciou o ex-governador do estado Paulo Hartung como palestrante do painel de abertura da Qualicon 2013, que abordou em sua fala a questão do desenvolvimento econômico na visão do gestor público e do gestor privado. Segundo ele, essa burocratização, arcaica e abundante, dialoga com outro traço da tradição político-institucional do Brasil: o apego aos processos em detrimento do compromisso com a eficácia. Ao final da palestra houve um debate que contou com a participação do presidente do Sinduscon-ES, Aristóteles Passos Costa Neto, e dos diretores Leonardo Lube e Ricardo Abrahão. Os participantes também puderam encaminhar suas perguntas. Foi um momento oportuno para debater os entraves ao desenvolvimento capixaba e as dificuldades enfrentadas pelos empreendedores. Abaixo o conteúdo da palestra: - A pauta de nossa conversa suscita, de pronto, um esclarecimento. De início, é importante ressaltar que o Estado e a administração pública existem em função dos cidadãos, que elegem governos e sustentam a máquina governativa com os seus impostos. - Por sua origem, o Poder Público não é um fim em si mesmo. Sua finalidade é exterior à sua estrutura. - A administração pública existe para atender aos anseios dos cidadãos, via prestação de serviços e entrega de obras essenciais à melhoria da qualidade de vida de todos. De igual forma, existe para dar vazão ao espírito empreendedor de indivíduos e organizações, dando condições à geração de prosperidade compartilhada. - Numa dimensão republicana, os governos são um importante fator de indução do desenvolvimento socioeconômico, de garantia da igualdade de oportunidades e de promoção e sustentação da cidadania e dos direitos humanos. - Ou seja, pela origem e missão dos governos, a melhoria contínua da competência e da eficácia dessas estruturas é um compromisso que todos os administradores públicos precisam ter. - Falando de Brasil, temos muito no que avançar. Infelizmente, ainda impera em nosso País a cínica idéia de que serviço público pode funcionar como um fim em si mesmo. E para piorar, também convivemos com a perversa cultura de que setor público pode ser de segunda classe. - Por tudo que falei até aqui, afirmo que é exatamente o contrário: serviço público existe somente em razão dos cidadãos contribuintes e, além disso, pode e deve ser de qualidade, tendo em vista que é financiado pelos impostos cobrados do povo. - No caso do Brasil, é importante relembrar que paga mais imposto, proporcionalmente ao que ganha e ao que tem, justamente quem menos recebe e quem menos tem. Fato que imprime ainda mais responsabilidade àqueles que gerenciam e aplicam os recursos públicos. Para mais informações deste belo evento, acesse http://www.sinduscon-es.com.br/sinduscon/index.htm